Na Hora H

PRIMEIRO BUGGY ELÉTRICO POTIGUAR SERÁ LANÇADO EM 2022

O Sistema Indústria, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial no Rio Grande do Norte (SENAI-RN) e a indústria de veículos Selvagem – pioneira do setor na região Nordeste e principal origem da frota de buggys que circula no RN e em outros destinos internacionalmente conhecidos, como Fernando de Noronha (PE) – assinaram na última quinta-feira (9) um acordo de cooperação para desenvolvimento do primeiro buggy elétrico do estado.

Segundo as instituições envolvidas, o projeto é idealizado desde 2020 e a expectativa é de ganhos ambientais, tecnológicos e econômicos em um dos passeios turísticos mais tradicionais do litoral brasileiro. Dentro da fábrica potiguar em operação há 45 anos, onde nascerá o primeiro carro elétrico do RN, a estrutura do veículo está pronta, à espera da inovação: o motor e as baterias que irão alimentá-lo.

Primeiro buggy elétrico do RN já com carcaça espera motor e baterias do projeto de desenvolvimento — Foto: Renata Moura

Os equipamentos para início do desenvolvimento já começaram a ser buscados junto a fabricantes e um treinamento específico com especialistas da Alemanha será realizado pela equipe de profissionais que vai colocar a mão na massa.

Questões como quando o projeto será concluído, o tempo necessário de testes, o início da produção comercial e a partir de quando o buggy estará nas ruas, ou nas dunas – assim como o preço que terá no mercado – só deverão ser respondidas no decorrer dos trabalhos. A demanda potencial, entretanto, já existe e dá sinais à indústria.

Projeto

O desenvolvimento do primeiro buggy elétrico na indústria do Rio Grande do Norte é parte do Projeto Verena, que o SENAI-RN e o Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGAS-ER), do SENAI, executam desde 2018 no Brasil com a Câmara de Indústria e Comércio da cidade de Trier (EIC Trier), da Alemanha. A iniciativa também conta com a colaboração do Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

O SENAI, por meio de CTGAS-ER e do ISI-ER, ficará responsável pelo desenvolvimento do uso da tecnologia e a integração dos componentes elétricos e mecânicos do veículo. À UFRN caberá a parte de “inteligência do buggy”, o que inclui toda a parte de controle, acionamento de motor, verificação da vida útil da bateria, análise do ambiente e detecção de falhas. Já a EIC Trier vai fornecer a tecnologia e promover o treinamento necessário para a realização do projeto.

O buggy elétrico

O buggy elétrico planejado dentro do projeto é um veículo que usa eletricidade para se locomover, por meio de baterias que alimentam o motor. A autonomia do modelo, ou seja, a distância que conseguirá percorrer com baterias cheias, antes de precisar de recarga, é estimada em 200 Km, diz o professor de automação e eletrotécnica do CTGAS-ER, e coordenador do projeto pelo SENAI-RN, Davinson Rangel.

To Top