Entrelinhas

AUDIÊNCIA DEBATE PROJETOS “VIZINHANÇA SOLIDÁRIA” E “BATALHÃO PARTICIPATIVO”

Proposta pelo vereador Robson Carvalho (PMB), uma audiência pública debateu na última sexta-feira (23) na Câmara Municipal de Natal os resultados dos projetos Vizinhança Solidária e Batalhão Participativo, iniciativa que estabelece vínculo social, aproximando a polícia dos moradores, afim de que juntos busquem soluções para reduzir os índices de violência e criminalidade nas localidades da cidade.

Tatiana Maia, moradora do bairro de Lagoa Nova, é integrante do grupo Vizinhança Solidária que atua na Praça das Mangueiras, realizando a manutenção do local e reforçando a atenção e contato com a polícia. “Após a praça ser revitalizada, montamos grupo para mantê-la em condições de uso e para tirar os meliantes de lá. Antigamente só tinha viciados em drogas, assaltantes, e nós conseguimos manter a praça limpa e sem meliantes. Todos do grupo se comunicam e se mobilizam, uns protegem os outros”, conta. Já Fabiana Fernandes é membro do Projeto Gizela, em homenagem à turismóloga Gizela Mousinho, morta durante assalto em janeiro de 2016, em frente a uma padaria na Zona Sul da cidade, e também participa de iniciativa semelhante. “Gera relacionamento diferente e um sentimento de comunidade. Aquele sentimento de impotência que temos vai se transformando em sentimento de irmandade. A violência não é um problema que atinge só a periferia. As pessoas estão sendo mortas em todas as partes da cidade e isso tem que parar”, destaca.

Os projetos em que a população é parceira da polícia foi iniciativa do major Correia Lima no início do ano passado, quando comandava o 5º Batalhão da Polícia Militar . Ele diz que não há custos e que os resultados são eficientes. Os grupos se comunicam via redes sociais e por telefone, mas também se reúnem presencialmente para discutir ações. “Esses grupos de alerta passam a ser olhos e ouvidos da polícia no momento em que não podemos patrulhar em determinadas áreas. Onde fizemos esses grupos houve redução de até 74% nas ocorrências. Além disso, a população voltou às praças e a conviver com mais tranquilidade. O objetivo é colocar os crimes em níveis suportáveis e resgatar a sensação de segurança”, diz o major. Agora, ele assumiu o 9º Batalhão, que abrange a zona Oeste da Cidade, e pretende implantar o mesmo trabalho na área. Para o vereador Robson Carvalho, essas iniciativas precisam ser abraçadas pelo Governo e disseminadas em todos os bairros da capital

 

To Top