Nossa Coluna

NOSSO MAIOR IMORTAL

MURILO MELO FILHO tornou-se mortal na manhã desta quarta-feira.

Nosso querido amigo, Murilo Melo Filho, ou Murilinho, descansou na manhã de hoje, na cidade do Rio de Janeiro, após complicações de um AVC, aos 92 anos, no Hospital Pro Cardíaco. Deixa a viúva Norma e os filhos Nelson, Fátima e Sérgio.

Em Natal, a cidade que nunca esqueceu e aqui passava todos os verões, na quinta que construiu na praia de Cotovelo, onde todos os Mello se reuniam, onde recebia amigos para grandes saraus literários, vai chorar a saudade e se tornar mais pobre. São seus irmãos vivos Herillo (reside em Joinville), Elma, Ilma, Ana Emilia e Eduardo.

MURILO é Imortal duas vezes: pertence à ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS e também à nossa Academia Norte-Riograndense de Letras. O mundo literário está de LUTO.

Murilo nasceu em Natal e, aos 18 anos, foi para o Rio de Janeiro para ser jornalista. Mas nessa profissão começou muito jovem nas nossas redações. Formou-se também em direito. Trabalhou no jornal católico Correio da Noite e, a seguir, de 1951 a 1959, na Tribuna da Imprensa, onde foi chefe da seção de política. Em 1952, participou da fundação da Manchete, onde mantém até hoje a seção “Posto de escuta”, e de 1955 a 1962 dirigiu e apresentou o programa “Congresso em Revista”, na TV Rio. É coautor dos livros “Cinco dias de julho, Reportagens que abalaram o Brasil” e “O assunto é padre” e autor de “O desafio brasileiro”, “O milagre brasileiro” e “O modelo brasileiro”. Em 1997, lançou Testemunho político. Desde 1965, é diretor-executivo das Empresas Bloch.

Seu depoimento foi concedido a Marly Motta Carlos e Eduardo Sarmento em 22 de abril de 1998. É maravilhoso e vocês podem conferir acessando:

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS CENTRO DE PESQUISA E DOCUMENTAÇÃO DE HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA DO BRASIL (CPDOC)

Proibida a publicação no todo ou em parte; permitida a citação. A citação deve ser textual, com indicação de fonte, conforme abaixo.

MELO FILHO, Murilo. Murilo Melo Filho (depoimento, 1998). Rio de Janeiro, CPDOC/ALERJ, 1998.

Esta entrevista foi realizada na vigência de convênio entre CPDOC/FGV e ALERJ. É obrigatório o crédito às instituições mencionadas. Mencionadas acima.

DEPOIMENTO PESSOAL – Eu tinha uma carinho especial por Murilo, um mestre, amigo da minha família. Durante o tempo que vivi no Rio, sempre fui acolhida por ele e sempre tive sua ajuda na época de divulgadora no Rio de Janeiro.

Muitas vezes fui almoçar na sua companhia e de Fred Ayres na própria Bloch. Nos verões de Cotovelo, sempre fui convidada a participar de alguns encontros.

DESCANSE EM PAZ, e meu abraço a toda a família.

Murilo e os irmãos Mello
Conversando sobre literatura com o editor Luiz Erthal, o livreiro Carlos Mônaco e a professora Marcia Pessanha (UFF) (Foto: Blog Literatura e Vivência)
Cumprimentando o presidente dos Estados Unidos, John Kennedy
Ao lado de Fernanda Montenegro e Geraldo Holanda Cavalcanti (Foto: Marco Rodrigues)
Ao lado de Vicente Serejo, Carlos Eduardo, Alfredo Bosi e Dácio Galvão

To Top