Nossa Coluna

FUI VÍTIMA DA INSEGURANÇA

Na tarde deste sábado (31/07), com a minha sobrinha Camille, fui ao Hospital Rio Grande, para a retirada de três pontos pela extirpação de um cisto sebáceo. Ao sair, já estava ao escurecer, final de tarde, atravessando a rua, calmamente surge um motoqueiro. Se dirigiu pra mim e, olhando, me disse “me passe o celular “ ou foi “só quero o celular. Me dê…”

Estava entre um canteiro e outro; minha sobrinha correu de volta para o hospital. Repentinamente eu disse DOU NÃO… olhei em volta e as pessoas estavam na calçada do hospital. Não tive conversa e pra lá arremessei o celular. O assaltante hesitou em ir pegar, com o susto foi embora. Pegou a rua Apodi em busca de novos “clientes”.

Depois de tudo passado acredito que não tenha sido sensata a minha atitude, o fiz no impulso, mas vendo que ele não estava armado e só. Pensei também que os seguranças do hospital poderiam agir. Nada!!!

ATENÇÃO, administradores do Hospital Rio Grande: são muitos e diariamente os casos de roubos e assaltos neste local. Invistam na segurança, contratem segurança motorizada para atuar nas suas frentes. Nós, clientes, e a cidade agradecemos.

Hoje, na missa, agradeci pelo livramento!

O clic é de Orpheo F. Resende.

To Top