Na Hora H

PESQUISA FIERN/CERTUS MOSTRA DADOS SOBRE O SEGUNDO TURNO DAS ELEIÇÕES

A Federação das Indústria do RN divulgou, nesta segunda-feira (15), a primeira pesquisa FIERN/Certus para o segundo turno da Eleição 2018. Os dados mostram as intenções de voto tanto para a presidência da República quanto para o governo do Rio Grande do Norte. Pesquisa registrada no TSE sob os números: BR 00385/2018 e
RN 02146/2018. Confira os resultados:

Pesquisa mostra Haddad com 45,46% e Bolsonaro com 34,54%

A pesquisa mostra, na sondagem estimulada das preferências para presidente, Fernando Haddad (PT) com 45,46%, enquanto Jair Bolsonaro (PSL) tem 34,54%.A diferença entre os dois candidatos que disputam a Presidência da República fica em 10,92 pontos percentuais. Enquanto isto, 8,37% afirmam que não sabem em quem vai votar e 11,42% respondem “nenhum”.

Considerando os percentuais de votos válidos, Fernando Haddad tem 56,82%. Isso significa que, com a margem de erro de três pontos para mais ou para menos, ele pode estar com índices que variam entre 53,82% e 59,82% e Jair Bolsonaro tem 43,18% dos válidos. Portanto, há possibilidade de estar entre 40,18% e 46,18%.

Na estratificação por gênero da sondagem estimulada dos votos totais, o candidato do PT tem o percentual mais expressivo entre as mulheres, com 47,34%, ficando com 43,19% entre os homens. O candidato do PSL tem o índice mais expressivo entre os homens, nos quais chega a 41,31%, ficando com 28,92% entre as mulheres. Na distribuição por idade, o maior percentual de Haddad está entre os que têm de 25 a 34 anos, com 50,34%. Bolsonaro fica com o melhor desempenho entre os que estão com mais de 60 anos, nos quais vai a 38,67%.

O índice de rejeição de Fernando Haddad é de 41,56 pontos, percentual dos que respondem não votar nele de jeito nenhum. Afirmam que votariam em Haddad “com certeza” 39,65%; enquanto 17,38% que poderiam votar. Na Grande Natal, está a maior rejeição de Haddad, com 55%. Jair Bolsonaro tem uma rejeição de 52,13%, que é o índice dos que afirmam não votar “nele de jeito nenhum”, chegando a 71,61% no Alto Oeste. Responderam que votaria nele “com certeza”, 32,20% e que poderia vir a votar 13,48%.

Fátima Bezerra lidera Segundo Turno, segundo a pesquisa

Na primeira pesquisa eleitoral FIERN/Certus do Segundo Turno para o Governo do Estado, na pergunta estimulada, a candidata do PT, Fátima Bezerra, tem 53,62% dos votos válidos, com um intervalo de confiança entre 50,62% e 56,62%. O candidato do PDT, Carlos Eduardo, está com 46,38%, com intervalo de confiança entre 43,38% e 49,38%.

No Primeiro Turno, conforme os resultados oficiais divulgados pelo Tribunal Regional Eleitoral, Fátima Bezerra obteve 46,17% dos votos válidos (748.150 votos) e Carlos Eduardo 32,45% (525.933 votos). Considerando-se os votos totais, a FIERN/Certus apurou que Fátima Bezerra aparece com 44,61%, e Carlos Eduardo tem 38,58%. “Nenhum” chega a 9,72% e “Não Sabe” a 6,88%.

Por região geográfica, Fátima Bezerra tem sua melhor situação no Alto Oeste, onde chega a 66,45% e a pior na Grande Natal, com 28,70%; Carlos Eduardo se sai melhor na Grande Natal, com 54,13%, e pior no Alto Oeste, 20%. Por sexo, Fátima chega a 45,14% entre as mulheres e 43,97% entre os homens; Carlos Eduardo atinge 39,75% entre os homens e 37,61%, com as mulheres.

Fátima Bezerra e Carlos Eduardo apresentam números de rejeição muito próximos. Enquanto a candidata do PT atinge a marca de 40,07%, o candidato do PDT fica com 38,16%. Por região, a rejeição de Fátima Bezerra é maior na Grande Natal, 58,48%, e menor no Alto Oeste, 21,94%; Carlos Eduardo tem rejeição maior no Alto Oeste, 47,74%; e menor na Grande Natal, 27,61%.

Eleitores escolhem segurança como uma das primeiras ações de governo

Entre os eleitores do Rio Grande do Norte, 33,12% consideram que “tratar de segurança” é o mais importante nas primeiras ações do futuro governador. Esse foi o percentual constatado pela pesquisa FIERN/Certus, na sondagem sobre a agenda futura que deve ser priorizada pelo eleito neste segundo turno.

Os números mostram que além de segurança, a saúde pública também é considerada prioritária pelos potiguares. Diante da pergunta sobre o que considera mais importante como primeira ação, 26,52% responderam “tratar da saúde”.

“Tratar de educação’ foi a resposta dada por 8,44% dada, enquanto 5,11% responderam “tratar das finanças do Estado”. Afirmaram que todos esses temas são importantes 26,03%, não sabe 0,64%, e não respondeu 0,14%.

O maior percentual dos que se preocupam mais com segurança está na região Agreste/Trairi, onde as respostas com esse tema vai a 43,59%, índice próximo dos que dão a mesma resposta na Grande Natal (40,22%).

Eleitores se posicionam sobre teto de gastos, reformas e operação Lava Jato

A pesquisa FIERN/CERTUS fez a sondagem sobre a opinião do eleitor do Rio Grande do Norte com relação à preservação das reformas trabalhista e do teto dos gastos. Para 31,13%, nenhuma das duas deve ser mantida. Enquanto isso, 20,21% afirmam que a reforma trabalhista precisa ser preservada, 12,41% querem a manutenção do teto dos gastos e 7,66% a continuidade das duas mudanças. Enquanto isso, 27,73% disseram que não sabem.

Entre os que preferem a manutenção da reforma trabalhista, 44,56% afirmam votar em Fernando Haddad e, dos que querem a continuidade do teto dos gastos, 45,71% são eleitores de Bolsonaro.

Também foi feito o levantamento sobre a opinião do potiguar a respeito de um possível “fortalecimento” ou “enfraquecimento”, pelo futuro presidente, da Operação Lava jato. Responderam que querem uma atuação do presidente para “fortalecer” a operação 73,55% e para enfraquecer, 9,01%. Na região do Seridó está o maior percentual dos que querem ver a Lava Jato fortalecida: 88,82%.

CONFIRA A ÍNTEGRA DA PESQUISA 

PESQUISAS REALIZADAS NO PRIMEIRO TURNO

To Top