Na Hora H

COMPLEXO CULTURAL DA RAMPA TEM ENTREGA PROGRAMADA PARA DEZEMBRO DESTE ANO

Uma visita técnica ao Complexo Cultural da Rampa, coordenada pela Secretaria de Estado da Infraestrutura do Rio Grande do Norte foi realizada na manhã da segunda-feira (22). Durante a vistoria, foi verificado o que falta para a conclusão da obra, programada para dezembro deste ano.

A vistoria reuniu o secretário da SIN, Gustavo Coelho; a secretária de Turismo do Rio Grande do Norte, Aninha Costa; o superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Rio Grande do Norte (Iphan/RN), Jorge Cláudio Machado; o superintendente do Patrimônio da União no Rio Grande do Norte (SPU/RN), Rômulo Campos; o arquiteto da Setur, Carlos Ribeiro Dantas, além de engenheiros, técnicos e assessores.

De acordo com o secretário de Infraestrutura, Gustavo Coelho, 80% dos serviços já foram executados, faltando apenas a construção de dois píeres e de um deck, além de detalhes nos prédios que abrigarão o Museu da Rampa e o Memorial do Aviador, como instalação de luminárias, pintura, instalação e ajustes de esquadrias. Nesta quinta-feira (24), está programada a chegada de 70 estacas-prancha, vindas de Recife (PE), para a edificação de base das estruturas que avançarão pelo rio Potengi.

O Complexo Cultural da Rampa terá 2.800 m² de área construída, salas para exposições, bar, café, loja de lembranças e souvenires, banheiros, mirante, píeres e deck. Após a conclusão e entrega da obra por parte da Secretaria de Infraestrutura, o local será gerido pela Secretaria Estadual de Turismo, que ficará responsável inclusive pelo acervo. São dois prédios principais: o Museu da Rampa, propriamente dito, e o Memorial do Aviador. No primeiro, ficará exposto material referente a participação de Natal na Segunda Guerra Mundial. Já o segundo espaço será dedicado a participação de Natal na criação do Correio Aéreo da América Latina.

A obra da Rampa teve orçamento inicial de R$ 7,6 milhões, com recursos do Ministério do Turismo, e contrapartida inicial do Estado de R$ 1 milhão. Por ter iniciado em 2013, e não ter sido entregue até então, foi necessário um reajustamento de R$ 1,4 milhão, a cargo do Estado.

Fonte: Agora RN

To Top